Pesquisar este blog

6 de ago de 2013

Adupé - uma celebração em homenagem e em agradecimento aos Orixás.


“Descobri que pelo mesmo olho que vejo Deus, é o olho pelo qual Ele me vê”  Thiago Romero



Há uns meses atrás, tive a oportunidade de conhecer um trabalho lindo, a peça Siré Obá. Ontem, eu encontrei em algum mural de amig@ do facebook, um vídeo do show de Thiago Romero (artista da peça citada) e grupo. Achei mais vídeos do show ADUPÉ, uma celebração em homenagem e em agradecimento aos orixás. Trabalho lindo demais, não poderia deixar de não compartilhar:

 A primeira vez que eu vi Thiago Romero foi saindo do Teatro Arena para a rua, saudando o mensageiro ....

"Aprendi a cantar no candomblé e foram essas canções que me trouxeram até aqui" T.R.
"Sem folha não tem vida, festa, não tem nada".
"O rastro... ora de cura, ora de saúde, ora de doença... Orixá forte, senhor das pérolas, terra firme, coroa de sol coberta por palha." " O filho, o irmão, o Rei"
"Afonjá, chefe de Kossô, a folha já fortalece aquele que dança entre as crianças. Derruba no barro aquele que é burro. Ninguém pode corromper nosso ori (cabeça). Senhor do saber, olho brilhante. Murro no muro da mentira, matando e varando o olho do mentiroso, mata quem não sabe pensar. Aganju destelha casa alheia e atelha a sua. E faz fogo cair do meio do céu"


"Espelho do mar refletido em mim. Eu, homem-água, guiado pela senhora, cujos filhos são peixes... Eu, era apenas o tombo, o chão, era apenas o cordão umbilical da minha essência. Eu era o rio, Ela era o rio. Eu era a aldeia, Ela era toda a minha aldeia."


Por fim, deixo o link da página deste trabalho lindo: ADUPÉ


Nenhum comentário:

Postar um comentário